[sempre de acordo com a antiga ortografia]

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012


Monte da Lua,
soma e segue...

No contexto de exemplar estratégia de comunicação coordenada por Maria do Céu Alcaparra, a Parques de Sintra Monte da Lua acaba de informar acerca de mais uma aquisição de património cujos objectivos estão devidamente esclarecidos no texto que, seguidamente, passarei a transcrever. Antes, porém, gostaria de salientar a correcção desta atitude da empresa, dando satisfação pública do que vai realizando com os recursos materiais e humanos ao seu dispor.

Naturalmente, é com o maior regozijo que partilho a notícia com os meus leitores, certo de que, na tão restrita medida das minhas possibilidades, nada mais consigo do que saudar a PSML pelos imensos benefícios com que tem cumulado Sintra, os Sintrenses e todos os que demandam esta terra, na busca de uma particular identidade que a empresa preserva e dignificar como nenhuma outra entidade.

Eis a transcrição da notícia:

"Parques de Sintra adquire Quinta da Amizade para percurso pedestre até ao Castelo dos Mouros
-Percurso pedestre até ao Castelo facilitado pelo interior da Quinta
-Vila Sassetti, no interior, será alvo de recuperação


Sintra, 16 de Janeiro 2012 – A Parques de Sintra Monte da Lua adquiriu à Câmara Municipal de Sintra, nos finais de 2011, a Quinta da Amizade, em Sintra (propriedade do município desde 2004), que inclui a Vila Sassetti e duas casas de guarda. O objectivo é estabelecer mais um percurso pedestre desde o centro histórico da Vila de Sintra até ao Castelo dos Mouros. A Quinta é já um verdadeiro caminho, pois é uma longa e íngreme faixa de terreno, que vai desde o Largo do Victor até ao sopé rochoso do Castelo (a Vila fica situada a meio desse caminho).

Insere-se no conjunto de caminhos que a empresa vem preparando para que os visitantes dos dois mais frequentados monumentos geridos pela Parques de Sintra – o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros – os possam alcançar a pé, sem terem que conviver, sobretudo na época alta, com carros e autocarros ao longo da Rampa da Pena. Para isso, a Parques de Sintra, após trabalhos de limpeza e recuperação da Quinta da Amizade, irá abrir este espaço à passagem de peões, instalando na Vila Sassetti um local de descanso, visita e restauração.

A Vila Sassetti, construída entre 1890 e 1894, é um chalet cujo projeto, Victor Carlos Sassetti, que foi dono dos famosos Hotéis Bragança (Lisboa), e Victor (Sintra), encomendou ao seu amigo arquiteto Luigi Manini, mais tarde autor da Quinta da Regaleira e do Palácio, hoje hotel, do Buçaco. A Vila chegou a ser, mais tarde, arrendada a Calouste Gulbenkian.

Esta interessante construção, ou castelejo de estilo Lombardo encontra-se num local sobranceiro à Vila de Sintra, - um verdadeiro miradouro - de estética romântica e oferecendo a sensação intimista de refúgio para família e amigos. Será objecto de restauro, estando previsto abrir o caminho e a Vila Sassetti ao público já no próximo Verão."


Mais uma vez, como poderão verificar, a Parques de Sintra Monte da Lua continua a dar cartas. E, como o jogo é sempre excelente, quem ganha somos nós...



3 comentários:

João Cachado disse...

Transcrição do fb

Luis Miguel Correia Lavrador,
Francisco Garcia, Tiago Sérgio,
Telma Gomes, Teresa Melo, Guilherme Duarte
gostam disto.

Fernando Castelo

É de salientar a transparência da gestão por parte da PSML, pois todos ficamos a saber onde aplica o dinheiro público. O outro lado da moeda prende-se com a venda da Quinta da Amizade por parte da Câmara. Ao menos devia ter sido profusamente divulgado por quanto e quais as mais-valias dessa venda do património. A que se destinou ou como foi aplicado esse dinheiro?
há 18 horas

Margarida Mota

Pois,contrariamente à PSML,as decisões da Câmara de Sintra,neste e noutros domínios,têm sido tudo menos transparentes.

JAC disse...

Seria melhor que o acesso a carros particulares fosse proibido na rampa da Pena (e que se investisse em mais eficazes transportes públicos e parques de estacionamento afastados do centro histórico) porque acessos pedestres a esses monumentos já existem bastava que fossem melhor divulgados para que se deixem de observar os turistas a engolir poluição ao longo da rampa da Pena até chegarem aos referidos monumentos.

João Cachado disse...

Caro JAC,

Tanto concordo consigo que são inúmeros os meus textos coincidentes com a sua proposta. De qualquer modo, voltarei ao assunto muito brevemente. Abraço,

João Cachado