[sempre de acordo com a antiga ortografia]

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

João Cachado - Sintra

Gostos e desgostos

Porque, na verdade, independentemente da sua escala, o assunto parece merecer inequívoco interesse, passo a tornar público o texto de um mail que acabo de enviar ao senhor Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria e São Miguel. Se bem recordados estão, esta questão foi suscitada por matéria aqui trazida, faz hoje oito dias, através do texto Dedicação? Já à prova...


Exmo. Senhor
Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria e São Miguel


Senhor Presidente,

Acerca do assunto em epígrafe, objecto de uma solicitação de intervenção e constante de uma ficha de atendimento que, em 20 do corrente, subscrevi e entreguei nessa Junta de Freguesia cumpre-me informar:

1.Naquela mesma data, como é do conhecimento de V. Exa., também solicitei a intervenção da Câmara Municipal de Sintra;

2. No dia seguinte, fui contactado pelo Engº Carlos Dinis, técnico da autarquia, que fora incumbido de estudar a matéria relativa ao caso que tive oportunidade de submeter, no sentido de propor a solução que tivesse como mais eficaz para prover a medida de segurança mais atinente ao desejado efeito de protecção;

3. Com uma operacionalidade a que, de facto, não estou habituado, imediata e informalmente, o Engº Carlos Dinis pediu que, na tarde desse mesmo dia, o acompanhasse através do percurso entre o Largo Nunes de Carvalho e a Escola D. Carlos I, que tantas razões de queixa de insegurança pedonal tem suscitado na comunidade e que, até ao presente, têm sido pura e simplesmente ignoradas;

4. Em tão curta confrontação com a realidade das condições de perigo a que, quotidianamente, estão sujeitos tantos cidadãos, nomeadamente crianças e jovens alunos da Escola D. Carlos I, tivemos oportunidade de encontrar e de ouvir o testemunho de quem nos confirmou quão justa e oportuno fora o pedido formulado à Junta de Freguesia e à Câmara Municipal de Sintra;

5. Tanto quanto consegui inteirar-me, o Engº Carlos Dinis irá propor a instalação de uma protecção de segurança que, na maior parte da distância e, de acordo com as características dos vários segmentos do referido percurso, no passeio do sentido descendente, portanto à esquerda da estrada em referência, obedecerá ao modelo já instalado entre a saída da Escola D. Fernando II e a Vila das Rosas;

6. Depois de tão auspicioso encontro com o Engº Carlos Dinis, como V. Exa. poderá facilmente depreender, fiquei deveras impressionado e na esperança de que, tão rapidamente quanto possível, a Câmara Municipal de Sintra, vai dar aos fregueses de Santa Maria e São Miguel a satisfação da concretização de obra tão necessária;

7. Naquela mesma tarde de anteontem, dia 23 do corrente, em informal conversa de rua, na Heliodoro Salgado, tive oportunidade de informar V. Exa. do que, até então se passara e que, resumidamente, dei conta nos parágrafos anteriores. Com toda a frontalidade, logo V. Exa. me retorquiu que a vedação de segurança nada, nada iria resolver.

Aqui chegados, dois dias depois, ainda gostaria de propor que, mantendo V. Exa. a mesma inequívoca e radical opinião que me transmitiu, então dela deverá dar conhecimento à Câmara Municipal de Sintra no sentido de, responsavelmente, como cidadão eleito, ainda possa evitar que seja concretizado um investimento escusado.

Por outro lado, convirá V. Exa. em que, nesta fase do processo, lhe cumprirá propor a alternativa mais competente, uma vez que, na iminência da resolução do caso, não passa pela cabeça de ninguém suspender agora uma iniciativa que, prestes a concretizar-se, me parece merecer o respeito de todos e, em especial, o dos fregueses de Santa Maria e São Miguel.

Tendo em consideração ser este um assunto que nasceu de um texto tornado público, informo V. Exa. de que, como seu autor, continuarei nesse registo, procurando que os cidadãos mais interessados e intervenientes se mantenham ao corrente da evolução do mesmo assunto que, independentemente da escala dos recursos a envolver, é suficientemente sintomático para merecer este destaque.

Sem outro assunto de momento, subscrevo-me, com os melhores cumprimentos,

João Cachado


12 comentários:

João Gonçalves disse...

Não sei se percebi bem: o Sr Presidente da Junta considera ineficaz a colocação da vedação? Isto depois de um técnico da Câmara a ter considerado eficaz? Qual a solução que o Sr. Presidente aconselha? Cortar o trânsito naquela artéria? Pelo senso comum, se um passeio junto a uma estrada tem um grande volume de crianças a passar, será sempre melhor ter uma barreira (vedação) do que nada... Fico á espera da brilhante solução do Sr. Presidente da Junta... Começamos bem...

António Ribeiro disse...

Se alguém tinha dúvida o Sr Casinhas tirou-as já. Ao menos não engana ninguém. É dos tais que nada faz e quando alguém faz ou quer fazer diz que a solução não presta. É o que há mais para aí em Sintra e não só.

Ribeiro

Pedro Serra disse...

É por causa de presidentes de Junta como este que a política local está tão mal vista. As pessoas só recorrem à Junta de Freguesia por causa dos atestados.
Não prestam para mais nada.

P. Serra

Anónimo disse...

Caro João Cachado,

O Casinhas em Santa Maria e o das queijadas da Piriquita em são Pedro são o exemplo da falta de nível das pessoas que estão ao serviço do Presidente Seara. Como diz o Cachado, agora devem provar que raio de dedicação têm a Sintra que ninguém vâ em que se revela. Este então é demais ao dizer que não presta uma solução que pode salvar a vida de crianças.

Assunção

Anónimo disse...

Meus senhores,afinal eles são tão maus e todos sabemos que sim mas ficaram cá:então quem veio votar neles, o pessoal da Amadora?Esta gente que os pôs lá tem o que merece e se calhar, não merece mais,Tenho é pena dos outros.
Mariana Lopes

Rosário Gonçalves disse...

Dr. Cachado,
Este senhor Casinhas devia ser obrigado a dar contas aos pais e encarregados de educação que têm crianças a estudar na D. Carlos I. Quando há uma hipótese de fazer uma obra tão necessária o próprio presidente da Junta diz que não vale nada. Não parece possível. Eu espero que a opinião da Câmara vença. Embora não tenha família atingida por esta questão de insegurança e nem vote no PSD já estou a aplaudir o Dr Seara.

Rosário Gonçalves

Fernando Santos disse...

Fez muito bem publicar a carta. Há coisas que um presidente de Junta de Freguesia não pode dizer e muito menos a dizer o contrário da Câmara que quer resolver um assunto sério. Só é pena que esta história não fosse antes das eleições porque tinha dado muito jeito na campanha. Toda a gente sabe que esse senhor acha que a Junta não tem poderes para fazer nada. Assim não dá trabalho nenhum. Coitado do Pinto Vasques, se não tivesse morrido naquela altura nunca o Casinhas era presidente da Junta. Fernando Santos

Artur Sá disse...

Amigo Dr. Cachado,
Mariana Lopes põe o dedo na ferida. Afinal Sintra preferiu gente desta no govrno local. Agora aguentemos todos que a democracia é assim mesmo.
Ainda bem que este episódio se passou consigo porque se fosse com outra pessoa qualquer ficávamos sem saber nada. Sabe que eu não voto aí mas nos meus lados é a mesma coisa.
Abraço
Artur Sá

Carlos Simões disse...

Eu concordo muito com a sua opinião de gestão em conjunto das três freguesias da sede do concelho. Mas não é com autarcas como o Casinhas em Santa Maria ou o Cunha das queijadas em São Pedro. Não têm nível nem para a freguesia deles quanto mais para uma coisa com outras ambições. Com outro presidente da Câmara talvez. A Dra. Ana Gomes tinha esse projecto e talvez dentro de quatro anos se concretize. Agora não há nada a fazer senão aguentar estes senhores que o povo quis. A democracia tem destas coisas como verncer a vontade dos mais ignorantes.
Carlos Simões

Anónimo disse...

Na minha freguesia já vi coisas idênticas nos últimos 4 anos e sei que vamos ver mais nos próximos mas os senhores acham que isso preocupa os nossos concidadãos?Eles esperam que outros como o Dr João ou o Sr Castelo façam barulho e levantem as questões e quando é a altura de votar, o que interessa é ter lá um tipo conhecido, que fale de futebol, acompanhado por outros mentecaptos que dizem ámen nas assembleias municipais e fingem governar nas freguesias...Entretanto, alguns enervam-se, arranjam inimigos e a maioria nem quer saber, só estão cá por estar, não têm verdadeiro amor a Sintra,só vieram para cá porque as casas, em condomínio fechado ou não, eram mais baratas.Património da humanidade?Isso é só para intelectuais....

Mariana Lopes
de S.Pedro

João Gonçalves disse...

Pois é, quem os pôs a governar as freguesias e a Câmara foram os Sintrenses, portanto agora quem neles votou não reclame... Falaram aqui no Sr. Casinhas e no Sr. Cunha da Junta de São Pedro. Do primeiro não tenho conhecimento nem de obra feita nem de obra por fazer embora este episódio seja um pouco caricato. Mas como habitante de São Pedro de Penaferrim tenho a dizer que a gestão da Junta nos últimos 4 anos resultou em pouco, muito pouco. Tenho aliás uma "guerra antiga" (entre aspas, claro) com a Junta de São Pedro e a Câmara de Sintra pela colocação de uma ou duas passadeiras na rua onde resido e um ano e meio após o seu inicio ainda não se vislumbra qualquer luz ao fundo do túnel. Resta-nos uma coisa a fazer: chatear! Tem que ser assim, ás vezes nada resolve mas pelo menos tentamos...

Anónimo disse...

Típico! Claro! Uma aposta que o Senhor não anda a pé;
Não tem familiares ou amigos que andem a pé ou de transportes públicos;
Isso é para os pobres;
Defende que as crianças possam guiar logo a partir dos 15 ou antes…
Uma aposta que é gordinho;
Uma aposta que estaciona em cima do passeio sem se preocupar se dá para passar uma cadeira de rodas ou um carrinho de bébé;
Deve ter estacionamento garantido quer à porta de casa quer|a porta do tarbalho;
Etc… Típico… e típicos os que nele votara