[sempre de acordo com a antiga ortografia]

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Ask me…

Em Sintra, a informação turística deixou o balcão do amplo salão à entrada do edifício onde estão sediados os serviços do turismo, e saltou para a rua, ficando reduzida ao insignificante espaço de uma pequena autocaravana. Estacionada em plena Praça da República, responde ao desafio de um ask me, assim mesmo, nesta servil expressão, que ainda consegue ser mais bacoca do que a campanha Sintra, capital do romantismo, cuja publicidade também aparece impressa na chapa da carrinha.

Dentro do exíguo cubículo, apenas um funcionário é, de facto, quanto basta para satisfazer a demanda dos forasteiros. Tão curiosa é a situação que chega a suscitar uma capciosa e perversa dúvida. Ou seja, afinal, não será esta a dimensão que, na devida proporção, responde às reais necessidades do serviço que, pelos vistos, há muitos anos, tem vivido inflacionado, com recursos perfeitamente dispensáveis?


De tal ordem é a sanha da estratégia empresarial da autarquia que não será difícil prever o que vai acontecer nas instalações actualmente em vias de adaptação a nova funcionalidade. Ou muito me engano ou, muito rapidamente, seremos confrontados com um espaço transformado em grande loja – há quem designe como show room, open space – onde será possível comprar o mais abastardado handycraft sintrense (?!), reservar quartos de hotel (e de periférico motel, porque amar é tão importante…) decidir por um rent a car das marcas mais conhecidas, comprar um percurso de exploração da serra, um challenge em jeep, and so on, com muitos packages à mistura…


Aliás, aproveitando a embalagem desta iniciativa mercantil, aconselharia a autarquia a alargar o modelo, por exemplo, também ao Departamento do Urbanismo. Mais uma uma outra autocaravana, desta feita no parque de estacionamento adjacente ao edifício da Portela, haveria de suprir a informação afecta à área do urbanismo e, lá dentro, no rés-do-chão, com o espaço dividido em várias células, alojariam os promotores imobiliários que, ali mesmo, tratariam das vendas dos seus imóveis…

E, de tanto sucesso se prevê a adopção do figurino das autocaravanas que me permito até alvitrar uma solução mais integradora, decorrente de uma perspectiva sistémica. Então, por que não destinar as autocaravanas dos departamentos municipais – entretanto todos mercantilizados, como o do Turismo – fazendo-as concentrar num parque com tanta atractividade como o do Rio do Porto, que já ganhou a tradição de camping municipal em pleno centro histórico?...

Neste contexto do marketing e do merchandizing para aproveitamento comercial das instalações disponíveis, um pouco por todo o concelho, considero-me detentor de uma bolsa de ideias que abrirão janelas de oportunidade dinamizadoras da actividade económica em todo o território sintrense. Quem quiser aproveitar, só terá de me contactar, ligando ao call center virtual que acabo de abrir, naturalmente, subordinado ao slogane Ask mee…

NB: espero não precisem os leitores que, dentre os abundantes itálicos, assinale os que são particularmente afectos ao discurso presidencial sintrense...

8 comentários:

Rui Pimentel disse...

O que é municipal e público está a caminhar por outras lógicas (privada e empresarial) para outro destino. Até parece que a lógica da empresa não foi posta à prova nas empresas municipais que só servem para absorver recursos.
Estas soluções não servem os
interesses dos munícipes
de Sintra.

R. Pimentel

Anónimo disse...

Sr. Professor João Cachado,
Como transparece dos seus artigos vê-se que é uma pessoa de bem,com muito amor a Sintra.Como foi possível estar ao lado de um políto cujo cartão de visita era o futebol e agora estamos a ver que nada fez?Nem em Sintra nem nesta zona de Queluz.
Desculpe pela opinião mas deve sentir-se muito mal ao ponto de se desmarcar.
A sua antiga aluna Ilda Canavarro

Alberto Matos disse...

É capaz de haver algum engano,quando vi a carrinha estava fechada e pensei que era para venda de cachorros quentes ou farturas.

João Gonçalves disse...

Não tem a ver com este tema mas penso estar na hora de este Blog chegar a mais gente. Não sei se o Prof. João Cachado tem objectivos políticos nem me interessa. Se os tiver até acho muito bem.
Penso é que é necessário criar um movimento amplo de cidadãos que se preocupem com Sintra, que tenham ideias, que não se sujeitem a interesses partidários e que possam transformar o concelho em algo que actualmente não é.
Não sei se o proprietário do Blog pretende que este tenha maior divulgação, mas se o pretende sugiro uma entrada do Sintra do Avesso numa rede social como por exemplo o Facebook para que todas estas ideias e todos estes ideais cheguem a mais sintrenses.
É uma simples sugestão...
Cumprimentos

Anónimo disse...

Professor João Cachado parece-me uma excelente ideia esta aqui sugerida da entrada do seu blog na facebook. Quando nesta rede social acedi à página da Quinta da Regaleira, pasmei com tanta mentira. É muito fácil enganar as massas. Editaram por lá recentemente uns folhetos com a presunção de nos "esclarecer" acerca dos mistérios do sítio, desprovidos de rigor académico e verdade porque não são mais do que propaganda martinista com o intuito de servir a Quinta da Regaleira de cartão de visita promocional ao sr. joão cruz alves no circulo martinista que frequenta. Usa-se e abusa-se de Sintra e seu património. Na fundação cultursintra pratica-se o despesismo tolerado por um conselho de administração "corrompido" pela pérfida mentira e pelas conveniências que lhes garantem os "tachos" com a agravante de se tolerar a imposição de uma "nova" explicação da Regaleira em nada credível baseada apenas nos devaneios e interesses pessoais do sr. joão cruz alves. Jose Julio Jales

João Cachado disse...

João Gonçalves
José Júlio Jales

Muito obrigado pelo vosso interesse. Gostaria que soubessem do meu repúdio absoluto pelas designadas redes sociais. Sempre que aparece alguém pretendendo que eu integre qualquer desses suportes, a mensagem é imediatamente considerada spam.
Por favor, não insistam.

João Cachado

João Gonçalves disse...

Muito bem. Está no seu direito. Apenas sugeri como meio para fazer chegar as suas prosas, que considero importantes e sempre bem escritas, a mais gente.
Fiquemos-nos pelo Blog.
Cumprimentos

João Gonçalves

Ricardo Duarte disse...

Caro Professor:

Eis aqui um video que nos dá uma ideia do que irá ser o novo posto (?) de turismo:

http://www.youtube.com/watch?v=A3d884iGkgQ

Deprimente.

Não sei se já teve acesso ao relatória que a UNSCO produziu em resultado da ultima visita a Sintra onde o Professor e outras entidades foram ouvidos.

Será preciso ir à bruxa?

Ricardo Duarte.